Etiquetas

quarta-feira, 26 de agosto de 2015

AO ENCONTRO DA CASA DE VILA-SECA, DA FAMÍLIA PASCOAES


Subimos a Ovelhinha e, ao fim da Rua das Chanzinhas, viramos à direita, em direção à Casa de Vila-Seca.
Encontramos a Quinta que pertenceu ao irmão de Teixeira de Pascoaes: 

Álvaro Pereira Teixeira de Vasconcelos
Álvaro Pereira Teixeira de Vasconcelos nasceu na Casa de Pascoaes, a 20 de setembro de 1884. Após a conclusão dos estudos liceais, frequentou a Universidade de Coimbra onde se licenciou em Direito, mas nunca exerceu a advocacia.
Gostava muito de acompanhar o funcionamento do seu Lagar de azeite em Vila Seca, onde passava horas a conversar com os funcionários, entre os quais o Tio Luís Gesta. Viria a falecer na casa de Vila Seca, a 28 de março de 1964, com 80 anos, tendo sido sepultado no jazigo de família, no cemitério de Gatão, pertença da Família de Pascoaes. 


A Casa de Vila Seca pertencia à avó de Teixeira de Pascoaes, Carlota Guedes Monteiro de Carvalho, que veio a casar com João Pereira Teixeira de Vasconcelos.
Seria Álvaro Pereira Teixeira de Vasconcelos a herdar a casa e a realizar as obras de maior relevo, bem como dar continuidade ao funcionamento do Largar de Azeite existente.

Antigamente, como só havia estrada até Vilela, era necessário fazer-se o resto do caminho a pé. Mas nem mesmo esse inconveniente impossibilitou Álvaro Pereira Teixeira de Vasconcelos de receber na sua Quinta ilustres convidados, entre os quais Francisco Sá Carneiro, teria ele por volta de 10 anos.



 Belos monumentos em granito preenchem os jardins da Quinta




A designação da propriedade como "Casa do Encontro" tem a ver com a Capela, cujo orago é Nossa Senhora das Dores. "Encontro" é uma referência ao encontro de Nossa Senhora com o seu filho Jesus no seu caminho para o Calvário - uma das sete dores de Nossa Senhora.
Espigueiros onde, ainda hoje, é guardado o milho das colheitas

O Tio Luís Gesta trabalhou, ao longo de toda a sua vida, na Quinta do Encontro

Descemos em direção à Capela de Nossa Senhora das Dores, pertença da Quinta. 



 À esquerda., no altar, a imagem de S. António. Nossa Senhora das Dores, ao centro, e a imagem de S. Pedro, à direita no altar. 

O dia de Nossa Senhora das Dores é a 15 de setembro.
Os paroquianos celebram a Santa durante o mês de Maria, em Maio, com a celebração diária do Terço. 





Aqui, encontramos um sepulcro, em pedra, de Manoel Jozé Teixeira. São várias as lendas do que aconteceu. Há quem diga que se trata de um padre que foi morto por um empregado de raça negra, chegado a ter sido enterrado na quinta, sendo trasladado, mais tarde, para este local. 


O confessionário. 

A campainha ou sineta que chamava as pessoas para a Capela. 

São vários os romeiros que vêm cá cumprir as suas promessas


As vistas para Vila Seca, a partir do Ligar da Boavista

As vistas para o Lugar de Corujeiras e Cabana





Fontanário de Vila-Seca, datado de 1987

Sem comentários:

Enviar um comentário