Etiquetas

segunda-feira, 31 de agosto de 2015

À DESCOBERTA DA HISTÓRIA DA IGREJA DE GONDAR

Mais uma paragem por terras de Gondar. Desta feita, na Igreja de Gondar:

A nova igreja de Gondar começou a ser construída em abril de 1903 e foi inaugurada em 9 de outubro de 1904. Para esta obra, em muito contribuiu o empenho e dedicação do Sr. Joaquim Narciso. Foi colocada a data de 1903 na padieira da porta principal, para lembrar a obra do pedreiro, a mais difícil e a mais cara, pois custou mais que todo o resto da igreja. 


Entre o corpo da igreja ou nave central e a Capela-mor, sobressai o arco cruzeiro, sem qualquer referência artística. Trata.se de um pequeno mas belo conjunto, encimado por um retábulo em talha dourada de fino recorte, com um par de pilastras pseudo-salomónicas, tendo a presidi-la para além de um sacrário esculpido nos mesmos moldes, um maravilhoso crucifixo em madeira.

Nos nichos laterais, à direita do crucifixo, encontra-se a imagem da padroeira, Santa Maria de Gondar. Do outro lado, uma imagem de Santo António.
O remate do retábulo é constituído por um arco coberto pela mesma decoração barroca, de parras, cachos de uvas, fénices, anjinhos e pequenas folhas de acanto sobre fundo dourado.
O teto é de madeira estrangeira. Quanto ao altar, assenta sobre consistentes pedras de granito. Depois da reforma litúrgica, foi arrancado do retábulo e transferido para a frente do me4smo, a fim de ser mais funcional nas celebrações litúrgicas. Atualmente, encontra-se ao fundo das escadas.
O chão da igreja era originalmente de madeira. Foi já o Pe. Foz que o mandou substituir por tijoleira.
SACRÁRIO 

A Freguesia de Gondar tem como orago (padroeiro) Santa Maria, ou seja, a Virgem Nossa Senhora e Mãe de Deus. Ela é venerada sob a invocação de Santa Maria de Gondar, no entanto, o povo denomina-a de Nossa Senhora da Cadeira. Esta última designação deve-se ao facto de as pessoas não estarem habituadas a verem imagens religiosas nesta posição.
Vinda da velha Igreja do Mosteiro, a atual Igreja Paroquial conserva, no seu retábulo-mor, a escultura de Santa Maria de Gondar.
Trata-se de uma escultura gótica (séc. XV), em calcário brando da área do Baixo Mondego, vulgarmente chamada “Pedra de Ançã”, policromada. A Virgem encontra-se sentada no trono, com o Menino sentado sobre o joelho esquerdo, amparado pela mão esquerda da Mãe, de costas voltadas para o crente, e aleitando-se. Veste trajo comprido, com manto colocado pelas costas, caindo à frente, em pregas densas e de belo efeito estético. A sua camisa encontra-se meio aberta, libertando o seio esquerdo onde o Menino se aleita. Na mão direita segura uma romã, fruto que anda usualmente associado à sua iconografia.
O trono onde a Virgem e o Menino estão sentados é uma cadeira fechada, de espaldar reto, que se eleva até à altura dos ombros da Senhora.
No lateral direito da cadeira (à esquerda do observador) foi gravada uma inscrição que diz:
Pº Aº MADO
FAZ’ CCCC
LXX ANOS
Ou seja, “Pero Afonso mandou fazer (na Era de M) CCCC LXX Anos”.
Assim, esta imagem identifica claramente o seu doador, Pero Afonso, que foi o primeiro Pároco de Gondar, e a sua data, 1470.
Ao entrarmos na Igreja, encontramos quatro altares laterais. Do lado esquerdo, ao cimo, a imagem do Sagrado Coração de Jesus. Nesse mesmo lado, a imagem do Sagrado Coração de Maria.
 Do lado direito, ao cimo, o Altar de S. José com o Menino ao colo e mais perto da entrada, o Altar de Nossa Senhora de Fátima.
 À esquerda do Altar encontra-se uma porta lateral que dá para a saída a norte, e simultaneamente para a sacristia. Sacristia, revestida do mesmo lambrim de azulejo marinho, enquanto na parede em frente, prende um quadro com a fotografia do Pe. Gastão de Sousa.
Já ao fundo (ver imagem acima) podemos encontrar o Batistério da Igreja. 


Junto à Igreja, encontramos o Salão Paroquial. Além de um escritório, uma ampla sala de estar, uma cozinha, casas de banho e um bom número de salas de catequese. Possui, ainda, uma ampla sala de espectáculos, como apoio à cultura religiosa e artística. Para além de inúmeros encontros, aí se pode realizar os serviços litúrgicos indispensáveis, aquando das obras na Igreja. 
Residência Paroquial de Gondar

 O Cemitério de Gondar foi alvo de intervenção no último ano.Recorde-se que o cemitério começou com o tabuleiro de baixo, datado de 1855.
O alargamento contempla 45 campas, das quais, 6 serão vendidas para pessoas que tiveram de enterrar os familiares em campas públicas, sobrando 39 campas, que serão apenas vendidas à morte evitando uma corrida às mesmas.


Devido ao alargamento dos passeios, de ambos os lados da Rua da Igreja, entre a Junta de Freguesia e o Cruzeiro, a circulação automóvel passou a ser feita num só sentido. 

 Sede da Junta de Freguesia de Gondar. 


Antigo Infantário, onde agora se situa a Loja Social da freguesia. 
 Centro Cívico. Andar superior - Biblioteca e sala de informática. Piso inferior: Casa Mortuária. 
Homenagem ao Combatentes no Ultramar

Referências Bibliográficas:
(1) Oliveira, Leonel de (2003): Igreja de Gondar, um centenário para a história. Gondar: Tadinense - artes gráficas.
(2) Amaral, Luís Coutinho (2009): Contributos para o Estudo da História de Amarante/Gondar. Amarante: Museu Municipal de Amarante

Sem comentários:

Enviar um comentário