Etiquetas

segunda-feira, 3 de novembro de 2014

ENVELHECENDO - UMA ARTE

CATARINA DINIS
Por estes dias e depois da celebração de dias festivos com o tema a pairar sobre a morte, a saudade, emoções e sentimentos, escolhi para esta nova semana, de um mês que entrou ainda recentemente no nosso calendário, novembro, e decidi falar sobre o envelhecimento. Não só o do corpo pois claro, também o da alma, dos sentimentos. Se há algo que não podemos ainda fugir e apesar de todos os avanços na medicina e outras ciências é o envelhecimento. Ele é algo tão natural na nossa vida e do qual não escapamos, distingue-se pelo “ rápido desgaste do nosso corpo”. Segundo estudos clínicos começa com um declínio constante em muitos dos processos cognitivos particularmente a partir dos 30.” Torna-se socialmente interessante esta definição porque se refletirmos aos 30 anos ainda somos considerados “ jovens”, provavelmente uma temática importante em relação ao aumento da longevidade no decorrer da evolução humana. No entanto todo o processo já se iniciou no nosso interior. No nosso dia a dia, temos que começar a criar práticas que fomentem, um envelhecimento ativo e com qualidade. Além do mais não podemos deixar em branco os indicadores dos Censos que sempre nos recordam a diferença abismal entre o índice de envelhecimento e a camada mais jovem da população. Devemos repensar a cada dia que passa, que todos caminhamos para o “ envelhecimento” e refletir o que pretendemos, medidas a tomar… infelizmente política e socialmente ainda existem fronteiras, muros que separam a população e sem sentido cria-se um clima de precaridade com a idade e inclusive de tabu.

Para finalizar e porque preciso escrever sobre isso… sobre o envelhecimento do nosso interior, da nossa alma, dos nossos sentimentos, Este envelhecer não é biológico nem tem propriamente uma ordem cronológica para suceder… apenas sucede e quando damos conta fundo do pântano da nossa existência… Quantas vezes sem querer, levamos nas nossas costas, um fardo invisível, mas deverás pesado, que desgasta e destrói a nossa vida… e há que deslargar algumas amarras, algumas cordas soltas e porque não essas mágoas e ressentimento ocultado, que nos transportam as dores profundas do mundo e da depressão. É este o caminho mais rápido para se envelhecer antecipadamente. Por isso vamos inverter esta situação… ter uma atitude mais positiva, manter-se ativo na sociedade, fazer o que gostamos mais na nossa vida… Fazer exercício, caminhar, sair, escrever, ler, dançar, cantar, rir, rir mesmo muito… em suma estarmos SEMPRE OCUPADOS… ter em atenção a alimentação e cuidados com a saúde em qualquer idade… E assim encontramos a dose certa para encontrarmos a felicidade e deixar que cada minuto suceda o próximo, com a segurança da serenidade de viver.

Sem comentários:

Enviar um comentário