Etiquetas

domingo, 5 de outubro de 2014

DIA MUNDIAL DO PROFESSOR

“Se deres um peixe a um homem faminto, vais alimentá-lo por um dia. Se o ensinares a pescar, vais alimentá-lo toda a vida.”
Lao-Tsé

JORGE ALMEIDA
DR
Sendo hoje o dia mundial do professor, não podia deixar de escrever sobre os professores. Sobretudo a partir do início do século XXI, a sociedade tem vindo paulatinamente a desvalorizar os professores e a sua nobre missão. 

Esta situação leva-me refletir e a perguntar: Quais as razões para essa desvalorização? Será que as crianças deixaram de ter necessidade de aprender a ler, a escrever e a contar? Será que os smartphones são tão inteligentes que ensinam e educam os jovens? Será que os meios tecnológicos ou os pais podem ensinar os filhos em casa e a escola se tornou obsoleta e os professores arcaicos? 

Acho que não foi nada disso que aconteceu. Foram alguns indivíduos que chegaram à política e decidiram que os professores deviam ser responsabilizados pelos disparates feitos pelos políticos que conduziram o país a esta situação, aproveitando alguns exemplos de professores menos dignos da arte de educar. 

No entanto, todos se esquecem de que há professores que ensinam, educam, facilitam a aquisição das aprendizagens, matriculam, apoiam psicologicamente, aconselham, ralham, procurando sempre o melhor para cada um dos seus alunos. O professor tem de ser um lavrador dedicado que não se limita a deitar a semente na terra, tem de a regar, fazendo exercícios, e de arrancar as ervas daninhas, corrigindo os erros, para que a sementeira dê frutos em quantidade e qualidade. Mas nem sempre isso acontece, pois, tal como na agricultura, se a terra não for bem preparada ou as condições atmosféricas não forem as adequadas, a colheita não será a desejada; também é necessário que os encarregados de educação acompanhem o progresso dos seus filhos, colaborando com os professores no sucesso dos seus educandos, pois os principais beneficiados serão os jovens.

Sinceramente, não entendo por que motivo alguns pais se desinteressam da educação dos filhos. A desculpa da “falta de tempo” não faz sentido, pois se os filhos tiverem de repetir o mesmo ano, então a “perda de tempo” será enorme. Se houver colaboração entre os encarregados de educação e os professores será muito mais fácil atingir o sucesso desejado e a colheita será realmente excelente. 
Em relação à imagem que a sociedade tem dos professores, só quando os filhos não têm docente de alguma disciplina é que os pais começam a dar o valor à importância dos professores. Estou certo de que um dia os professores serão novamente valorizados, para isso têm de mostrar com o seu exemplo que são superiores aos políticos que os querem destruir.

Para concluir, tenho de recorrer às palavras de Albert Schweitzer: “O exemplo não é a melhor forma de educar, é a única”.

Sem comentários:

Enviar um comentário