Etiquetas

sexta-feira, 20 de setembro de 2013

A FORÇA PARTIDÁRIA, POR PEDRO BARROS

PEDRO BARROS, CANDIDATO INDEPENDENTE À CMA

Confirma-se o nome da Dr.ª Lúcia Coutinho para Presidente da Assembleia Municipal pelo Movimento Independente «Amarante Somos Todos»?
Sim, claro. Foi uma das pessoas que esteve na génese deste movimento. Foi dela que partiu o convite para eu avançar. É uma mulher de grande coragem, solidária, de convicções, que, estou certo, irá desempenhar com grande dignidade a função.

Conseguiu trazer para a sua equipa nomes como Manuel Fontura, nunca antes no mundo da política. Porque pensa que isso aconteceu? Os partidos políticos entraram em total descrédito?
O Dr Manuel Fontoura é um médico e professor universitário prestigiado. Nunca esteve na política mas entendeu que desta vez deveria envolver-se e não ficar em casa. No discurso notável que fez na apresentação da minha candidatura ele explicou isso muito bem. Nós publicamos esse texto e acho que todos os amarantinos o deveriam ler.

Ainda assim uma candidatura independente ao não estar consignada à máquina partidária, acaba por não ser valorada de igual forma, sobretudo nos meios mais rurais, onde os cidadãos se habituaram a votar nos partidos e não nas pessoas. Como pretende, nessas zonas, reverter a situação?
 Estamos conscientes das dificuldades, dessa e de muitas outras, umas claras, outras escondidas. Isso ultrapassa-se com trabalho, cara a cara, debatendo ideias, esclarecendo para que todos possam votar em liberdade, como cidadãos livres, no que entenderem ser melhor para Amarante. Mas temos outras vantagens que nos dão alento, a primeira das quais é não estarmos dependentes dos diretórios políticos e de não recebermos ordens ou instruções de ninguém. Acredito que foi isso que fez com que muitas pessoas anteriormente ligadas ao BE, PCP, PS, PSD ou ao CDS apoiem este movimento. Somos Independentes e estamos muitos felizes por isso.  

Podemos saber o partido que apoiou nas últimas autárquicas? O que o levou a abandonar esse apoio? 
Não apoiei nenhum partido nas últimas autárquicas. Nas autárquicas devemos votar em pessoas, nos que nos parecem mais capazes em cada momento para gerir os destinos do município.

Qual será o lema de trabalho do seu futuro executivo? 
Amarante somos todos e a mudança constrói-se com todos.   

Quantos candidatos independentes apoiados pelo seu movimento independente à Assembleia de freguesia (s)? 

Concorremos a 15 Assembleias de Freguesia, num total de 253 candidatos
Gondar, João Paulo de Sousa Vieira
S. Simão, José António Faria Dias
Lomba, António Manuel Felgueiras Barbosa da Rocha de Almeida
Louredo, José Gonçalves Teixeira
Lufrei, Maria da Luz Pinto Machado
Mancelos, Helder Filipe da Silva Ferreira
Telões, António Maria Martins Teixeira
        Travanca, João António da Silva Oliveira
união das Freguesias de Aboadela, Sanche e Várzea, António Joaquim Ribeiro Gonçalves
        União das Freguesias de Amarante (São Gonçalo), Madalena, Cepelos e Gatão, António Aurélio de Macedo Patrício
União das Freguesias de Bustelo, Carneiro e Carvalho de Rei, Irene Maria da Costa Silva
União das Freguesias de Figueiró (Santiago e Santa Cristina), Liliana de Fátima Ferreira Pinheiro
União das Freguesias de Freixo de Cima e de Baixo, Carlos Alberto Carvalho Machado
União das Freguesias de Real, Ataíde e Oliveira, Jorge Sousa de Oliveira
União das Freguesias de Vila Garcia, Aboim e Chapa, Jorge Manuel Ferreira de Moura


Sem comentários:

Enviar um comentário