Etiquetas

terça-feira, 10 de novembro de 2009

Novela da educação continua: Primeiro capítulo de muitos começou hoje. Assista ao Making - off.

Ora tomem lá atenção: Durante as últimas eleições legislativas eu vi este senhor, sim, Mário Nogueira ao lado de uma determinada força política. Estejam atentos, sr.ºs professores, não misturem alhos com bugalhos, entendem!!!!

Concluída a primeira ronda de negocial entre a nova equipa do ministério da Educação e a Fenprof, Mário Nogueira agradece o esforço de Isabel Alçada, mas diz que continua com «os dois pés bem assentes na terra» e até aponta uma via para o sucesso.

Questionado sobre se as iniciativas apresentadas por outros partidos na Assembleia da República são importantes para este processo, o líder sindical não teve dúvidas: «Importantíssimas, porque criam uma saída política para o Ministério da Educação, dado que poderá sempre dizer que se a AR decidiu, então vamos suspender o processo de avaliação. Seria uma suspensão sem ser o Ministério a decidi-la e seria uma boa saída política para o Ministério».

Entretanto, a tutela ficou de apresentar «urgentemente, talvez na próxima semana», um «calendário de negociações do Estatuto da Carreira Docente», ficando a dúvida sobre se o processo ficará concluído até ao final do primeiro período ou apenas em Fevereiro ou Março.

Quanto ao estilo negocial, Mário Nogueira não quis entrar em comparações com a anterior equipa, mas fez uma ressalva: «Esta equipa ministerial e esta ministra em particular têm um passado que não é só de Ensino Superior. Têm um passado nas escolas, que faz com que o que diz é do que sabe e não do que lhe dizem. Isso é bom, mas coloca sobre ela uma grande responsabilidade». No fundo, admite estar optimista, mas não deixa de ter «os dois pés assentes na terra».

Sem comentários:

Enviar um comentário